terça-feira, abril 11, 2006

segunda-feira, abril 10, 2006

Enfim, o dia está a chegar...

Caros visitantes, amigos e leitores deste singelo blog, venho comunicar que este blog vai ser encerrado, por sentir que não consigo dar vida ao que aqui me propus realizar nem de alguma forma conseguir fazer com que haja um "fead back" de quem por ventura possa ler o que aqui é colocado.
Desde já agradeço a todos a atenção, paciência e vontade de terem passado por este blog.

Obrigado a todos.

quarta-feira, março 08, 2006

DIA DA MULHER

Não só porque este dia existe, mas porque nós os homens nos devemos lembrar sempre delas, quer sejam, nossas mães, avós, mulheres, namoradas, amigas, amantes, irmãs, primas, etc, por serem mulheres a todas as que visitam este blog, tenham um excelente dia.

Beijos a todas elas

quarta-feira, fevereiro 15, 2006

O porquê das garagens.

Caros leitores deste blog, vocês desculpem, mas hoje vou ter que escrever sobre algo que já me azeda os figados há muito tempo mas nao vai ser em rima.
Pois bem, morando eu numa zona apelidade de "in" ou "da linha" seria de esperar que os residentes tambem o fossem, isto porque, bem vistas as coisas os construtores das vivendas ainda podiam obter mais lucro para alem daquele que obtêm.
Bom, dito assim vocês não percebem nada do que é que "este gajo " está para aqui a escrever.
Eu passo a explicar.
Por norma, ou pelo menos a grande maioria das vivendas onde eu moro têm garagem e muitas delas tambem têm motores para que o seu proprietário nao tenha que sair do comodo da sua viatura para abrir o/s portaõ/es.
Se assim é, a comodidade em primasia, porque raio é que esses mesmos proprietários insistem em deixar os seus carrinhos na rua?????
Confesso que pelas voltas que dou pela zona Oeiras/Carcavelos/Parede, etc é o que eu tenho verificado, dá assim tanto trabalho carregar num botão ainda antes de estar em frente ao portão da garagem e guardar a viatura ?
Se dá, então avisem os construtores porque estao a estragar uma divisão que podia ser uma sala maravilhosa, ou então podia ser um jardim.
Para que serve a garagem? Pronto já sei dá uma dispensa maravilhosa, guarda-se tudo e mais alguma coisa por lá, menos aquilo que lá devia ser guardado.
Mas é curioso uma coisa e passo a relatar um episódio que sucedeu onde habito.
A grande maioria dos habitantes tem garagem e deixa por norma o seu veiculo na rua, ora acontece que uma bela noite houve uma viatura que teve a visita de um amigo indesejado, desses que lhe chamam do alheio, por sorte a viatura em questão não sofreu nada nem foi "aliviada" de nenhum pertence, isto porque houve algum vizinho com o sono leve e que pôs o referido amigo a dar uso ás pernas como se calhar nunca tinha usado.
O engraçado é que depois desse episódio as ditas viaturas passaram a dormir na sua garagem e como era bonito ver uma rua limpinha sem carros onde até dava gosto passar.
Pois vocês leram bem, era, porque agora a rua está na mesma ou ainda pior, pois existem novas vivendas com garagem, mas os desgraçados dos carros teimam em dormir na rua, mas será que ninguem lhes ensina o caminho da garagem??
Então agora é ver os ditos todos juntinhos uns aos outros em filinha pirilau, eu apenas penso, numa situaçao de emergência como é que vai ser?
Eu confesso que nao uso a garagem, porque infelizmente serve de armazem de materia prima para a loja dos meu progenitores, nem posso usar o patio porque para não estorvar a entrada da garagem do vizinho o meu pai tem que colocar a carrinha mais atrás impedindo assim a minha entrada com o meu carrito.
Como uma pessoa amiga me diz, o portugues sofre de umbiguismo e acho que este é um bom exemplo disso.
São apenas 5 minutos o tempo que se gasta para colocar o carro na garagem ou o retirar,é assim tão precioso esse tempo?
Pensem nisto, façam uma reflexão e usem as vosas garagens, de certeza que vai haver um vizinho contente com o vosso acto.

Beijos e abraços

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

Hoje apetece-me dizer mal

É verdade
Há dias assim
Em que uma pessoa se levanta
E só tem em mente coisa ruim

Hoje apetece-me dizer mal
Dizer mal de tudo e de todos
Dizer mal no sentido de revolta
De dizer mal por ser-mos tolos

Apetece-me dizer mal
De todo o português
Que apenas olha para o seu umbigo
Que apenas vê a sua pequenez

Apetece-me dizer mal
De todo o sistema instalado
Das demoras da justiça
Do Zé Povinho ser sempre culpado

Apetece-me dizer mal
Apetece-me revoltar
Apetece-me fazer algo
Algo para tudo isto mudar

São mesquinhos os nossos governantes
Incompetentes todos o sabem
Mas porque razão nós votantes
Insistimos em os ter lá?

Bem sei que é loucura
Não ter ninguém para governar
Não quero Monarquia nem ditadura
Apenas quero respirar

Hoje apetece-me dizer mal
Foi assim que acordei
Com espírito de revolta e do contra
Pois já ontem assim me deitei

Apetece-me dar um grito
Daqueles que o pais inteiro oiça
Larguem lá o vosso umbigo
Vejam por uma vez o que se passa à vossa volta

Apetece-me dizer mal
Já me estou a chatear
Vou mas é produzir alguma coisa
Senão a coisa vai azedar